Casado dotado no supermercado

Eu fui ao supermercado em um domingo desse no qual o mesmo tinha poucas pessoas comprando. Fui comprar algumas coisas para passar o dia e tenho o habito de passear por todos os corredores do mercado e neste dia tinha alguns caras gostosos, normalmente não encontro tantos assim em um único local. Tinha caras altos, baixos e do meu tamanho e quando o cara é gostoso não importa o tamanho, porém minha preferência é por caras altos.

Quando decidi ir para o caixa vi que o cara mais alto dos que eu tinha visto nos corredores estava no mesmo caixa, ele devia ter uns 27 anos, 1.95m de altura, corpo normal, moreno claro e com cara de machão. Eu não tinha observado ele de tão perto, estava usando uma camiseta branca e uma calça de moletom de cor cinza clara e segurando um capacete de moto em uma das mãos.

Quando corri meus olhos para seu volume no moletom fiquei paralisado com o que vi, imagina um membro volumoso, virado para o lado direito da cueca pesado e desenhado pelo moletom. Nossa mole já era grande e grosso (devia ter uns 20 cm mole). Fiquei vidrado naquela visão e meu tesão foi tão grande que fiquei nervoso. Eu olhei pra cara dele e vi que ele percebeu e como na vida não podemos deixar de passar certas chances eu fiz um sinal com os olhos para o pinto dele e dei um mordidinha nos lábios insinuando que queria mamar aquele cacete. Ele pagou suas compras e foi em direção ao estacionamento. Apressei-me em passar minhas compras e pagar logo pra ver se pegava ele no estacionamento. Cheguei ao estacionamento eles estava colocando o capacete e eu fiquei comendo ele com os olhos, o safado deu um baita pegada no pau e subia na moto ligando ela. Pensei “merda” perdi a chance. Fui caminhando, pois morava a duas quadras do mercado e quando estava quase no meu prédio ele passou por mim bem devagar com uma das mãos guiando a moto e a outro no pau por cima do moletom e me encarando. Como a rua estava deserta pelo fato de ser quase meio dia em pleno domingo eu na maior cara de pau fiz um sinal que queria chupar ele. E na hora ele para a moto alguns metros e quando chego nele digo,

– Cara fiquei louco pelo teu cacete tô muito afim de cair de boca nele!

E ele pergunta:

– Tá, mas onde meu?

– No meu apê, moro logo ali – mostrando o prédio.

– Ok, vai na frente e abre a porta, vou parar na frente do prédio e entro rápido.

Entramos no prédio e fomos para o meu apê. Largamos nossas compras no chão e fui tomar água porque estava nervoso e com a boca seca. Ele sentou no sofá de pernas abertas com o pau meio duro. Eu disse:

– Hum, já tá animado. – Ele apertou o pau e disse:

– Tu não viu nada, ele cresce mais do que isso.

Não perdi tempo. Pedi que ele ficasse em pé escorado na parede e esfreguei minha cara no volume antes de mamar ele.

– Vai mostra o que tu sabe fazer, mas capricha na chupada… – ele disse, forçando minha cara na rola dele – Não posso demorar porque tenho que levar as compras pra minha mulher fazer o almoço.

– Adoro homens casados porque faço o que suas mulheres não sabem fazer – desafiei. Perguntei para ele se sua mulher o mamava gostoso e ele disse que não porque ela reclamava do tamanho do pau dele.

Baixei o moleton até a canela dele e vi uma cuequinha branca com um volume enorme.

– Nossa tu é um cavalo meu de tão pauzudo.

Ele:

– Cala a boca e chupa viado.

Baixei a cueca e como estava apertado na cueca levei uma porrada na cara com o pau de tão duro que estava. Coloquei aqueles 26 cm e grosso na boca e mandei ver na mamada. Perguntei se ele estava gostando e ele disse:

– Bah meu eu adoro uma mamada de viado, tu sabe mamar gostoso – disse ele, gemendo – …minha mulher não mama como tu.

Eu mamei ele por uns 15 minutos com vontade e quando sentia que ele ia gozar dava uma parada e chupava suas bolas. Ele tirou a roupa e sentou no sofá. Fiquei mais maluco de tesão vendo aquele macho pelado na minha frente com seu peito e barriga trincada, coisa que adoro em um macho. Ele segurava minha cabeça e socava o pau até a garganta, mas como era muito grande não entrava tudo.

Fiquei com vontade de ser enrabado.

– Fode meu rabo – gemi, lambendo as bolas dele – …nele vai entrar tudo.

– Bah meu, tu não vai aguentar ele é grandão.

– Quero sentir esse pauzão no meu cu”.

– Cara meti um vez em um viadinho e saiu sangue do cu dele e ele não aguentou… Eu adoro meter em um cu, mas ninguém consegue dar pra mim, nem minha mulher quer me dar o cu.

– Isso porque tu não fodeu alguém como eu que sou tarado por pirocudos e aguento firme.

– Cara, posso até meter no teu cu, mas tu tem que aguentar até eu gozar e eu meto forte meu.

– Vamos no meu quarto que vou te mostrar o que sei fazer.

Peguei um lubrificante e camisinha e ele disse que camisinha não porque não gostava e que apertava o pau dele e como eu não queria perder aquele macho dentro de mim e ele sendo casado topei sem camisinha. Lubrifiquei bem o pau dele e meu cu e fiquei de quatro na beira da cama e ele em pé atrás de mim.

Abri bem a bunda e ele começou a meter, mas como era muito grosso não entrava. Peguei um consolo que tenho e meti no rabo pra abrir caminho e ele fodeu meu cu com esse consolo e batia punheta. Depois de alguns minutos ele tira o consolo e mete a cabeça do pau no meu cu.

– Agora relaxa que vou meter tudo”.

– Mete devagar porque é muito grande teu cacete.

– Cala a boca que agora quem manda sou eu, vou te mostrar como meto em boiola.

Ele começou a meter forte até as bolas sem piedade e tirava pra ver meu cu arrombado e metia de novo socando forte. Ele montou em mim como um cavalo e metia com vontade gemendo de tesão.

Eu reclamava às vezes de dor por causa da força que ele socava e ele falava:

– Cala a boca putão, tu queria levar no cu agora tá reclamando? Aguenta!

Depois de alguns minutos ele cavalgando no meu rabo ele pede pra eu ficar de bruços. Eu deitei de bruços e ele meteu de novo e socava forte falando putaria e me chamando de puta e cadela, que ele iria rasgar meu cu de tanto foder e que eu não sentaria por uma semana.

Ele gemia cada vez mais altos e enterrava tudo no meu cu. Depois de uns 25 minutos socando de bruços ele falava gemendo:

– Ta sentindo meu pauzão no teu cu? – cuspiu na minha boca – Vem aqui sentar nele pra sentir minha porra também bem no fundo desse rabo.

– Não, goza fora – gemi.

– Que gozar fora que nada, vou encher esse cu da minha porra pra tu sentir saudade do meu pau.

Sentei no pau dele e deixei aquele pirocão me arregaçar mais uma vez. Ele foi bombando, me forçando pra cima do pau dele com força.

– Vou gozar nesse rabo, quero sentir meu leite entrando no teu cu!

Começou a me puxar com mais força e eu senti os jatos fortes e quentes preencherem meu cu.

– Tá sentindo minha porra no teu cu”?

Ele ficou em cima de mim por uns cinco minutos pra se refazer e depois saiu. Quando ele tirou aquele membro enorme do meu cu senti um vazio e fiquei apavorado pelo tamanho do cacete que aguentei. Era um antebraço pendurado meio mole no meio das pernas.

Ele disse que queria tomar um banho e dei uma toalha pra ele. Ele foi tomar banho e fui junto porque queria chupar ele pra bater uma punheta e gozar. Depois de ele ter lavado o pau eu mamei ele e como o pau estava meio mole eu conseguia colocar mais da metade na boca. Mamei gostoso e gozei.

– Gostou de levar esse cacete no cu? – ele perguntou, batendo com a rola na minha cara.

– Adorei, mesmo que doeu um pouco.

– Bah meu, curti meter no teu cu. Tu aguentou mais do que o outro carinha que comi… – cuspiu na minha boca mais uma vez, e disse: – … quero meter em ti mais vezes.

Ele se secou e vestiu a roupa e trocamos telefone. Ele foi embora porque tava atrasado pra chegar em casa e depois de alguns dias ele me liga dizendo que tava com vontade de socar meu rabo e eu marquei com ele para uma próxima.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*